14 fevereiro 2006

O Transtorno Bipolar na Visão Espírita - Dr Luiz Paiva


O transtorno bipolar é uma doença funcional do cérebro relacionada aos neurotransmissores cerebrais, que provoca oscilações imprevisíveis do humor, que vai da depressão aos estados mais elevados, chamados de hipomania ou mania.
Afetando em torno de 1% da população, distribuído igualmente entre homens e mulheres, o TB(tanstorno bipolar) permanece como crônico em 1/3 dos acometidos, perdurando por toda vida. Surge geralmente na terceira década de vida e os sintomas depressivos predominam na maior parte do tempo.
Conquanto receba o nome de transtorno bipolar do humor, ele tem subespécies onde só se manifesta a mania ou a depressão ou estados mistos de mania e depressão, em que predomina a irritabilidade. Comumente, quando se apresenta com o predomínio dos sintomas depressivos é mal diagnosticado como depressão maior e tratado erroneamente com antidepressivos somente, o que piora o quadro.
Por isso, o diagnóstico deve ser feito por profissional qualificado, após exame clínico acurado e colhida história detalhada da enfermidade e sua evolução.
Sabe-se que o transtorno funcional dos neurotransmissores como noradrenalina, serotonina e dopamina desempenham papel fundamental na doença, e estudos mostram uma base genética também, pois incide mais frequentemente em algumas famílias. Conquanto existam os fatores predisponentes, há tambem as situações desencadeantes, geralmente associadas ao estresse ambiental ou uso e abuso de substâncias psicotrópicas, legais e ilegais.
Pelo que você pode observar, até agora analisamos apenas os fatores biológicos e ambientais, ficando uma lacuna nos aspectos psíquicos e espirituais. Há fatores intrapsíquicos, como a estrutura de personalidade, que joga como um fator de facilitação para a emersão do estado patológico. Aqui, de igual forma, torna-se imposível separar os fatores espirituais, cármicos, dos fatores psíquicos, pois ambos procedem de uma mesma fonte, qual seja, o espírito imortal.
Torna-se vital avaliarmos o papel que desempenha o cérebro e o corpo físico como um todo no processo da evolução espiritual. O cérebro e o sistema endócrino-humoral é um grande sistema cibernético ou computadorizado, de natureza analógica e não digital, isto é, responde às gradações de forma gradual e não pelo tudo ou nada. Isto faculta ao cérebro ser um meio modulador dos impulsos mentais advindos do espírito, atenuando-os ou potencializando-os, conforme as necessidades adaptativas ou educativas da interação espírito- matéria.
Em assim sendo, as tendências patológicas agem como um alarme, fazendo o espírito outomodular-se nas tendências e paixões. É a própria Lei de Causa e Efeito a serviço da educação, finalidade maior de sua existência no grande plano pedagógico de Deus.
À guisa de metáfora, seria como um mau motorista que, notório abusador dos recursos do veículo, desgastando-o prematuramente no descontrole da velocidade e nas frenagens, arriscando-se e levando riscos aos outros, recebesse como parte do seu processo reeducativo um veículo com deficiência nos freios, obrigando-o a restringir a velocidade e a utilizar marchas adequadas, de modo a lhe permitir o devido controle no direcionamento veicular.
Assim podemos melhor compreender a injunção cármica dos transtornos mentais como um todo, que servem de recursos retificadores dos trânsfugas espirituais que, destarte, corrigem em si mesmos os desvios das paixões alucinantes, do suicídio direto e indireto, dos abusos da inteligência e de outras formas de viciação e alienação do espírito.
No âmbito do tratamento, embora a própria enfermidade seja em si mesma uma forma de cura da causa original do problema, a providência divina concedeu à medicina humana os meios paliativos e mesmo efetivos de controlar, digamos, o descontrole. No caso do transtorno bipolar temos uma imensa gama de substâncias chamadas de estabilizadores do humor que se utilizam no tratamento de crise e no de longo prazo desta devastadora doença.
Sob o ponto de vista espiritual, strictu sensu, a reforma íntima, a vigilância e a oração, o propósito no bem, as ações beneficentes constituem-se na melhor profilaxia e tratamento. Não raro, os portadores de TB trazem um séquito de cobradores do passado que podem vir a ser soezes obsessores, complicando um quadro já em si complexo e difícil. O transtorno bipolar do humor parece ser um facilitador da manifestação de faculdades mediúnicas, o que junto às afinidades espirituais do passado e os seus compromissos, vulnerabilizam sobremaneira o enfermo, que se torna assim presa fácil de múltiplos fatores alienantes.
É desnecessário dizer que a utilização da terapêutica espírita é de grande valia, se acompanhada do devido esforço regenerativo por parte do doente. A doença em si é um grande processo de cura, dentro da qual se insere a abordagem espírita, a funcionar como psicoterapia cognitiva e, ao utilizar os recursos fluídicos e ectoplásmicos, como recurso relevante na cura quântica do desequilíbrio, mas sempre secundariamente à adequada abordagem médica.

47 comentários:

Anônimo disse...

Nossa que linguajar mais dificil, séquito??? soezes obsessores???Será que não dava para usar um palavrório mais simples?Falou falou e não disse nada que se entenda sem um dicionário....

Alguém de Angra dos Reis disse...

Pondero que o anônimo que critica o texto está errado em dois pontos: o texto é claro, pra mim o foi enquanto doente de TB. Também sinto que deveria não expor sua opinião de uma maneira agressiva. Num texto onde encontramos algumas palavras novas isso é ocasião de densificar o uso da língua.Jesus no modele.

Alguém de Angra dos Reis disse...

Pondero que o anônimo que critica o texto está errado em dois pontos: o texto é claro, pra mim o foi enquanto doente de TB. Também sinto que deveria não expor sua opinião de uma maneira agressiva. Num texto onde encontramos algumas palavras novas isso é ocasião de densificar o uso da língua.Jesus no modele.

Anônimo disse...

Quanto me senti atingida pela explicação da TB com a respectiva abordagem espiritual que tanto me interessa.
Há 7 anos tenho tido agravamentos depressivos, sendo duas crises de grande gravidade.
Atualmente mantenho a medicação prescrita pelo psiquiatra, mas não tenho feito acompanhamento.
Sinto que necessito de grande ajuda espiritual, a qual venho buscando através de minhas orações, porém não tem sido o bastante.
Quando me sinto segura de que venci uma batalha e prosperarei, surge outra cuja a causa me é nebulosa.

ines disse...

sou obrigada a concordar que a linguagem foi muito muito complicada e nao da pra entender mesmo ...
pena ...........podia ter explicado muita coisa e ajudado muito. A mim nao ajudou :)

Cynthia disse...

Irmãos...se tivessem a prática da leitura diária não achariam complicado as observações do nosso irmão Sérgio, a qual me foi muito abrangente e elucidativa!!!
Antes de postar críticas...deveriam buscar o que não entenderam num dicionário...
este texto é um incentivo ao estudo do português tb!!!

sandra disse...

ESSE TEXTO FOI DE GRANDE VALIA PARA MIM. AINDA NAO SEI OQ TENHO, MAS DE TUDU QUE JA PESQUISEI, ESSE TRANSTORNO É OQ CHEGA MAIS PERTO DAS ANGUSTIAS QUE SINTO. VOU PROCURAR AJUDA, MUITO OBRIGADA, QUE DEUS ABENÇOE!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Irmãos! Acertado o comentário da Cinthia acima... Ocorre que infelizmente ou felizmente iremos buscar ajuda mais cedo ou mais tarde, ou seja , pela "dor ou pelo amor." No tocante a este blog que contém um material informativo de altíssima qualidade e suma importancia aqueles familiares, amigos e companheiros que vivem ao redor de portadores desta enfermidade - TAB ou e/ TBH, Pois a postagem do irmão Sergio consola e traz muita esperança aqueles que concorrem a compahia de portadores desta enfermidade. Portanto, bastemos que tenhamos Fé em Deus em primeiro lugar, orando e vigiando, trabalhando incessantemente e cuidadosamente sempre voltado ao bem deste portador, com CALMA, PACIENCIA E DETERMINAÇÃO... edificando-os de modo que seja imperceptível e axiliando a estes através da Religião/Doutina Espírita, pois as casas espíritas sérias terão com toda certeza o tratamento adequado a questão. Ressaltando-se muita calma e amor na compreensão desta patologia que seguramente tem influenciaçãoes cármicas-espirituais. Contudo,é prudente na hora da escolha de um profissional saber-se to que trata-se-ia de fato especialista; médico/psiquiatra e/ou psicólogo conjugados com o tratamento espiritual.

G. F. B. M

Pileggi disse...

Excelente texto, ele mostra os problemas biológicos não tirando a responsabilidade do enfermo. Parabéns!

vycamacedo disse...

ACHEI MUITO INTERESSANTE ESTE SITE ATÉ PQ SOU ESPÍRITAP,PRECISO DE AJUDA PQ ESTOU CANSADA DE SOFRER COM AS ALTERNÃNCIAS DESTA PATOLOGIA
SE VCS PUDEREM ME AJUDAR FICO
GATRA

Atencisamente , VIVIANE

Anônimo disse...

ESSA ABORDAGEM FEITA ESTÁ CORRETA, NOS MODOS ATUAIS SOBRE A MEDICINA MODERNA.
TANTO A CONVENCIONAL E A ESPIRITUAL FAZEM PARTE DE UM CONJUNTO ALIENADOS.
O SER HUMANO É PSICOSSOMÁTICO, BIOPSICOSSOCIAL E ESPIRITUAL....
NÃO PODEMOS DEIXAR DE LADO QUE O SER HUMANO NÃO POSSUI APENAS UM ÓRGÃO COM PROBLEMA, ELE É COMPLEXO. ENTÃO UMA VISÃO DESSA FORMA DO TEXTO ESTA DE FORMA CONSCIENTE COM A REALIDADE.

ANDRÉ

Anônimo disse...

Diz bem o irmão Sérgio,Sob o ponto de vista espiritual,a reforma íntima, a vigilância e a oração, o propósito no bem, as ações beneficentes constituem-se na melhor profilaxia e tratamento.Não só o TB mas várias outra enfermidades são como um freio para as nossas dependencias,morais,quimicas etc...
Nos responsáveis únicos por aquilo que estamos vivendo.Nada é por acaso. FAB

hergov disse...

Meus amigos e amigas, apesar do texto parecer um poco difícil, compreendam o TODO e não somente as partes, não se prendam no significado puro das palavras, mas no entendimento integral da mensagem, vejam com os "olhos da alma" e não somente com os "olhos do corpo". Sou portador de transtorno afetivo bipolar, o que trouxe muita desgraça para minha vida, que foi repleta de exageros excessos de euforia e tristeza. No começo, não aceitei o diagnóstico, e rejeitei toda e qualquer tipo de medicação, continuei com a minha vida desrregrada, exagerando na bebida, noites mal dormidas, o que me levou a uma situação de total descontrole. Hoje entendo e compreendo que sou bipolar, e que não posso levar uma vida sem compromisso, o compromisso comigo mesmo, procurei ajuda médica, tomo os medicamentos indicados, vou fazer terapia, e por fim, não menos importante, auxílio espiritual, também terapêutica como o texto recomenda. Se vc acha que sua vida e suas ações podem ser compatíveis com os sintomas da bipolaridade, não hesite, procure ajuda AGORA, pois o primeiro e mais importante passo, é o reconhecimento dessa doença, e tenha a mais absoluta certeza que se vc optou pelo auxílio ele virá, pois o universo conspira a nosso favor, ou seja, viemos a esta terra pra sermos FELIZES e assim será se escolhermos......

FRATERNAL ABRAÇO A TODOS
HERMANO E. G.

Anônimo disse...

No século 4 a.C., HIPÓCRATES, o pai da Medicina, descreveu a MELANCOLIA e a MANIA, separadamente... A Melancolia seria, segundo ele, decorrente do excesso de humor negro, de “bílis negra”, distribuída no organismo, daí o estado de espírito pessimista, o humor triste e a lentidão psíquica e motora. E a MANIA em sua acepção literal seria IMPULSO, para ele, uma “loucura alegre, agitada e pitoresca” .

Por volta do final do século 19, o psiquiatra EMIL KRAEPELIN juntou a Melancolia e a Mania num único quadro nosológico, chamado loucura maníaco-depressiva ou PSICOSE MANÍACO-DEPRESSIVA (PMD). Para KRAEPELIN, a PMD seria um quadro cuja evolução caracterizar-se-ia por FASES – ora a fase de exaltação do humor (maníaca), ora a fase de depressão do humor (depressiva) – e entre cada fase haveria o chamado “intervalo lúcido”, isto é, o paciente voltaria à normalidade após cada fase. A duração de cada fase é variável, em média de 4(quatro) meses...

Em meados do século 20, com a descoberta de substâncias antidepressivas e antimaníacas, modificou-se um pouco a terminologia, embora pouco ou quase nada se acrescentou ao conceito. Não obstante, o conceito de DEPRESSÃO ampliou-se muito, a nosso ver, propiciado pela venda cada vez maior de medicamentos. Optou-se, assim, pelo conceito de “transtorno”, muito mais vago e amplo do que “PSICOSE”, assim o conceito de PMD foi substituído pelo conceito de Transtorno Afetivo Bipolar (TAB), mantendo-se praticamente a mesma descrição clínica, embora outras entidades foram catalogadas como transtornos: a CICLOTIMIA e a DISTIMIA, sobre as quais não entraremos em detalhe pois escapam ao objetivo PRÁTICO desta nossa palestra, especialmente para espíritas...

Anônimo disse...

CAUSAS DO TAB
O Transtorno Afetivo Bipolar (TAB) é explicado como tendo causas CONSTITUCIONAIS, GENÉTICAS, BIOQUÍMICAS e PSICOLÓGICAS. Assim, o TAB é mais freqüente no sexo feminino, no biótipo pícnico (pessoas com face arredondada ou em forma de escudo pentagonal, com importante desenvolvimento do tecido adiposo, gorduroso, enfim, pessoas com a conformação corporal “atarracada”). Haveria uma alteração funcional dos níveis de SEROTONINA na terminação nervosa, isto é, na sinapse neuronal haveria pouca serotonina fisiologicamente ativa e isto é confirmado pela ação dos antidepressivos que agem fundamentalmente nos níveis das aminas cerebrais... Do ponto de vista psicológico, FREUD fez um trabalho importante ao distinguir a “Melancolia” do “Luto”, em 1913, isto é, demonstrou que na Depressão há perda importante da auto-estima, levando freqüentemente aos suicídios tentados ou consumados, o que não ocorreria no Luto, isto é, na Tristeza normal.

Já a psicanalista MELANIE KLEIN extrapolou ao conceber que haveria, no bebê, uma posição depressiva, em que o bebê não se distinguiria do seio materno, projetando “fantasias inconscientes” para o seio: ora seio bom, ora seio mau e assim, mercê dessas fantasias paranóides, o Ego do bebê sairia da POSIÇÃO ESQUIZOPARANÓIDE, esvaziando-se, para a POSIÇÃO DEPRESSIVA. Na vida adulta, o individuo “regrediria” a esta fase do desenvolvimento da libido. Já a MANIA seria explicada por M. KLEIN como uma “defesa do Ego contra a depressão”, o que seria verdadeiro na mania REATIVA e não na MANIA do TAB.

A nosso ver, a interpretação psicanalítica kleiniana tanto da Depressão quanto da Mania seriam artificiosas, pois se já é difícil conceber-se o INCONSCIENTE infantil, como uma dimensão ôntica de um bebê, imagine-se uma “fantasia inconsciente”! Além disso, na Mania não há um “sorrir pra não chorar” – a euforia do maníaco não denota ao observador um disfarce, uma defesa contra a depressão, especialmente, nos casos de evolução sempre com fases maníacas...

TAB e OBSESSÃO
O Transtorno Afetivo Bipolar (TAB), do ponto de vista espírita, seria um COMPROMISSO REENCARNATÓRIO de reajuste e evolução do Espírito, a nosso ver. Não concordamos com a tese de alguns confrades que dizem ser a Depressão uma OBSESSÃO. A maioria que assim afirma, desconhece o que seja verdadeiramente a DEPRESSÃO, assim o Dr. IZAIAS CLARO, que não é médico, escreveu um livro sobre o assunto ("Depressão – Causas, conseqüências e tratamento", Casa Edit. O Clarim, 6 ed., Matão – SP, Nov. / 99) e disse, dentre outras, a seguinte tolice: “O ressentimento é uma das causas mais freqüentes de depressão” (op. cit. p. 78), ou seja, ele demonstra desconhecer o que seja “ressentimento” e, muito menos, o que seja “depressão” e, menos ainda, o que seja “causa” de Transtorno mental!... Aí está o grande problema dos que não são médicos escreverem sobre assunto médico...

luiz disse...

A despeito de toda controvérsia gostaria de colocar alguns aspectos relativamente à bipolaridade: Geralmente a pessoa bipolar é dotada de um bom nível de inteligência e via de regra ela tem uma clara visão do quadro portanto uma consciência do sofrimento associado. As pesquisas até o momento apontam para um desequilíbrio bioquimico, logo pode ser necessária um tratamento farmaclógico bem orientado que conjugado com uma psicoterapia que ajude a pessoa a reconhecer os pensamentos disfuncionais que sempre conduzem a resultados indesejados. ajudando a pessoa focar os aspectos importantes para ela e concomitantemente propiciado-a a desenvolver seus otenciais,que resulta em consideráveis contribuições à humanidade.

Anônimo disse...

Em síntese, a DB teria causa espiritual. Receito que esta separação espírito/mente ainda é meio mal compreendida. Elas são a mesma coisa. A única diferença é que em espírito o homem manifesta sua inteligência sem os percalços da matéria. Então, a disfunção bipolar, me parece, pode ter sua causa bem aqui, na existência terrena, pelo mal uso das faculdades psíquicas, ou derivar de outras encarnações, ou ainda, da vida espiritual desregrada. É uma doença de tratamento complexo, porque o diagnóstico e a diagnose são difíceis, os sintomas terríveis, porque concorrem para o isolamento social do indivíduo que necessita ajuda. Tenho um parente portador e apresento alguns traços da doença. Ainda não sei ao certo se poderei conviver com ela sem adentrar no tratamento químico. Por enquanto está sendo possível, com algum auto-controle e auxílio de amigos. Que Deus abençoe todos os irmãos que precisam do bálsamo para este problema!

Vera Lisboa disse...

Muito esclarecedor o texto.
Obigada!

Anônimo disse...

Queridos amigos e irmãos, tenho 50 anos e descobri há 3 anos, que sofro de TAB, e por coincisdência, abandonei minha religião (umbanda) nesse mesmo período. Tenho passado por momentos muito difíceis pois, estou na menopausa, e os sintomas tornam-se mais fortes...Fiz um tratamento para depressão há 2 anos atrás que não foi suficiente,por que fui diagnosticada como transtorno de ansiedade leve. Atualmente estou fazendo reposição hormonal e tratamento com a psicóloga,mas sei que vou ter que tomar medicamentos. Mas o interessante é que durante os 17 anos atrás que eu trabalhava na umbanda, NUNCA senti tais sintomas, e ou sentimentos. Estou buscando forças dentro de mim, para retornar a minha vida espiritual.. Um abraço à todos e sucesso !
Beht / SP

Anônimo disse...

O problema que sinto aqui nas postagens em relação ao texto sobre tb e espiritualidade não são as palavras em si. Porque isso é muito simples, procure no google a resposta para o significado.Porém, como já disse as palavras são o de menos, o que observo é que as explicações são inconsistentes, pouco elucidativas. Como no caso da cura quântica.como é usada a quântica nesse tipo de tratamento? seria melhor um texto mais claro, pode ter rebuscamento de palavras. mas se é para o auxílio de todos independente do grau de leitura ou acadêmico.
PERGUNTO COM TODA A CLAREZA O QUE SERIA A CURA QUÂNTICA PARA O ESPIRITISMO?
BJS
DANIELA

MARIA INES disse...

estou procurando respostas para o TB na visao espirita e essa resposta foi otima.quem é espirita e ja estuda a doutrina nao tem dificuldade no texto ne acha agressivo.muito pertinente o texto. obrigada.
juiz de fora

Anônimo disse...

Àqueles que não entenderam, sugiro, (sem intenção de ofender, por favor) que procurem ler mais, tanto sobre o TB quanto à literatura espírita. Isso trará mais entendimento. Mas, antes de TUDO, estejam de coração e mente abertos a receber os ensinamentos, senão vocês partirão para a agressividade e revolta, e com isso deixarão de aprender algo que possa ser muito importante pra vocês. Também tenho TB e estou buscando, de coração aberto, todas as informações possíveis para que eu aprenda a lidar com essa doença. A todos, muita paz e coragem pra seguir em frente.

Anônimo disse...

Acredito que a primeira coisa a fazer é a autoanálise. Abalar-se com acontecimentos negativos não significa que seja depressão, todos têm abalos, mas nem todos conseguem sair deles de pronto; por outro lado o não abalar-se com as experiências muitas vezes significa indiferença para com outros (egocentrismos) ou com a própria vida (decepções acumuladas e não trabalhadas). Devemos lembrar que as experiências negativas, por um lado pode ser carma, por outro pode ser um dispositivo de mudança de atitudes ou sentimentos a que o indivíduo não presta muita atenção.
Assim como procuramos um ortopedista quando torcemos ou quebramos o pé, precisamos sair do pedestal e tratar o emocional e o psíquico, com ou sem médicos ou especialistas. Há necessidade de remédios quando não se consegue calma para com uma situação, quando há lesões do corpo físico (falta de hormônio – serotonina...) , sejam elas causadas por má postura perante a vida ou mesmo as causadas por obsessores. Não se deve apelar para medicações a cada contra-gosto da vida, é uma forma de abdicar do próprio destino, abrir mão do livre-arbítrio, do desenvolvimento pessoal. O psicólogo, muitas vezes consegue mais do que medicações. Um bom livro, uma boa música, meditação, yoga, são outros recursos que levam ao equilíbrio emocional/psicológico. Quando há obsessão envolvida, a oração, o passe, a reforma íntima são bastante apropriados. Não é necessário alguém nos dizer que temos algo a mudar, pois todos estamos aqui para remodelarmo-nos. Cabe ao próprio ser buscar em seu foro íntimo o que lhe perturba, questionar-se se é correto ou não, o que deve reforçar ou tirar; os arrependimentos só são salutares enquanto análise e reposicionamento, pois o culpar-se não corrige nada, é metade de um passo não o passo que devemos dar. Através do estudo e análise podemos resolver muitas coisas e se não conseguimos sozinhos é porque é hora de deixarmos o orgulho, a autossuficiência de lado, assumir as próprias falhas e fraquezas e procurar o profissional competente ou o esclarecimento de mentores. É essencial nunca perder a fé em Deus e ter a certeza que temos que evoluir, que as coisas acontecem para o nosso bem, para nos impulsionar ao melhoramento espiritual. É difícil passar pela “PORTA ESTREITA”, mas ela está e continuará lá até que nos resolvamos deixar a “mochila de quinquilharias” (defeitos, mágoas...) para ter como entrar.

Anônimo disse...

Todo o tipo de doença seja do corpo, da alma ou da mente é uma forma de fazer com que o ser humano aprenda a viver em diversas condições de existência para que possa alcançar Deus nosso Pai Celestial. E todas essas condições devem ser vividas como dadivas. E não devemos jamais de esquecer de agradecer ao nosso Pai essa oportunidade.

Terezinha disse...

As palavras dificeis têm o dicionário como guia. Nós, pessoas dificeis, devemos ter Jesus como nosso guia. Reforma moral é a chave de tudo. Aprendemos hoje para sermos melhores amanhã. Precisamos aprender a "aprender" com nossas mazelas.

sonia disse...

Li alguns comentários, o que posso dizer é que estou pedindo socorro!!! Vcs não tem noção´o que é estar na crise, seu peito dói muito, a vontade de tirar sua vida é intensa, já tentei elaborar várias maneiras para que eu não sobreviva e fique inválida em uma cama, é pecado tirar sua prória vida ,mas, creio no perdão de Deus pois é um momento de muita, muita escuridão. Não gosto da vida, ela é muito escura, sinto que já estou no tal umbral!! Não tenho respostas....

Anônimo disse...

Olá Sônia, meu irmão à um tempo atras estava com esse mesmo problema, era quase impossível conversar com ele pois qualquer conselho dado ele vinha com insultos e ofensas, tinha um comportamento completamente destrutivo e promíscuo, com intervalos de depressão profunda,a depressão vinha quando ele ficava sem dinheiro e estava endividado, a solução veio depois de dois anos de sofrimento quando após levá-lo à vários especialistas, uma psiquiatra receitou alguns remédios até acertar o que ele melhor se adequava, depois disso ele ainda ficou um tempo instável mas bem menos que antes, até ele começar a frequentar o centro espírita. Hoje ele está melhor que antes equilibrado e voltou a ser nosso irmão querido.

Força nessa luta, as pessoas que gostam de você e os médicos só podem mostrar o caminho, mas a cura depende de você através do auto conhecimento, caridade e estudo dos ensinamentos de cristo.

Abraços.

Anônimo disse...

somos seres adaptáveis
ás diferentes situações que surgem em nossas vidas a todo momento, afinal, se não tivéssemos dificuldades, estaríamos ainda na Idade da Pedra. São as diferenças, os entraves que nos desafiam e nos fazem progredir em espírito, corpo e alma. Precisamos cair para levantar, sofrer para nos humanizar, e as doenças nos fazem aceitar nossas fraquezas e as fraquezas de quem amamos e de quem precisamos aprender a amar. Sou portadora do tab, não me é fácil me entender, porém depois que li, estudei o que é, consegui me ver em muitas situações vividas por mim e os sentimentos variados que muitas vezes, até hoje me consomem. Mas o importante é que sei agora o que tenho e posso, embora não sempre, controlar. Com relação ao grau de dificuldade ao entendimento do texto, precisamos saber a quem queremos passar a informação, pois cada público tem suas características. Mas a linguagem culta ainda deve predominar. O que sinto falta e acho importante é de conversar com pessoas com o mesmo problemas, pois é importante a troca de conhecimento. Obrigada.

Anônimo disse...

Olá!
Tambem me sinto em varias situações descritas nos comentarios, sei que nos ultimos 5 anos, quando revejo o que fiz de marcante, se resume a uma meia duzias de coisas... Outro fator é que tudo esta conectado, força de espirito, mente, corpo... Se o espirtito anda mal com o que vê, o que sente, o que recebe, consequencias podem ser observadas na mente, e aparencia do corpo... Uma coisa que dificulta a recuperação, é a má memória das coisas que podem ajudar a medio, longo prazo, e é mais facil lembrar das situações traumaticas que levam pra baixo... Comparo com um fundo do poço, que quanto mais forças fazemos para sair, mais sentimos um alivio de salvação, mas quando caimos, ficamos olhando pro fundo sem progredir... O importante é termos sempre familia e amigos por perto, nem que nao seja para uma ajuda direta, mas para que nao nos desanimemos de desistir, e sempre ter uma mão amiga na hora que nós soubermos que precisarmos... O importante da meditação é identificarmos o que nos aflinge, e saber no que melhorar nossa vida, viver mais os sentimentos que cada um se sente melhor, para que possamos acoradar cada dia renovando nossa força de espirito, melhorando consequentemente nossa mente e corpo... E o mais importante, deixando de ser um mal exemplo ao Proximo, e sim poder ter vitalidade e ser um bom exemplo... Creio que resumidamente o que vem de fora fisicamente (remedios) é o controle, mas a cura vem de dentro, com a sustentação de apoios de boas influencias e amizades externas...
Conclusivamente, assim como disse que quando olho pra traz e vejo uma decepção, quero que no futuro eu possa olhar pro meu passado e contar boas histórias, pra isso posso começar com pequenas mudanças positivas hoje, mantendo o equilibrio e peneirando as coisas boas, agregando, progredindo, sempre no caminho do bem, pois fomos contemplados com o dom da vida, podemos VIVER!...
José Hélio - ctba.

jrotoboni disse...

Sou médico, psiquiatra e bipolar. Posso dar-lhes um conselho. Disciplina nas medicacoes, disciplina na moral, na ética, nas emoções, e muita Fe em Deus. Humildade para apoio espiritual e fundamental. A dor da depressão e agonizante, mas passa. A felicidade da euforia e suprema, mas perigosa. Com os anos de treino e cuidados, você se obriga a praticar a serenidade, e os altos e baixos amenizam. Desculpem com a linguagem, nao domino esta máquina.

Rosangela disse...

Achei interessante e esclarecedor o texto. Porém quando é empregada a expressão "devastadora doença" não concordo com termos como estes. Acabei de escutar uma exposição de Divaldo Pereira Franco onde ele diz que ao dar o diagnóstico a seu paciente, o médico pode ajudar ou atrapalhar ainda mais na recuperação do mesmo. Eu diria, esta tão comum doença nos dias atuais, o que coloca os pacientes mais inseridos na sociedade. E quando se coloca 1% da população com este transtorno , também achei desnecessário esta informação.Não seria interessante colocar índices sem uma pesquisa mais aprofundada. E dá a impressão que é uma minoria de "coitados" pelo modo como é colocado no texto. Ninguém é coitado e nenhuma doença é devastadora para quem tem fé. Pois é esta fé que nos move a busca de soluções.
Se delimitarmos 1% de cada doença que se tem notícia, poderíamos dizer que não existem pessoas sem doenças. Porque existem mais de mil doenças. Transtorno Bi Polar é somente um dos inúmeros transtornos de personalidades que existe. Fora doenças que atingem outros orgãos. Câncer também existem vários tipos. Eu tive um tipo de câncer que alguns médicos diziam ser "grave" e outros diziam "que tem solução". Eu preferi escutar os otimistas. E fazem 13 anos que fiz o tratamento e me sinto curada. Levo uma vida produtiva e tranquila.
Eu AFIRMO que transtorno Bipolar tem muitíssimas chances de ser controlada e conheço muita gente que "deram a volta por cima". Mas tem que aceitar ajuda médica, espiritual e apoio da família. Têm que se sentir amados e amparados. Isto ajuda a buscarem as forças interiores que todos temos por sermos criados por Deus e lutar para mudar este quadro "provisório" de maneira mais tranquila.

Wilson disse...

A explicação para mim, é de grande valia e se não tivesse entendido, buscaria a ajuda de um dicionário ou uma pessoa mais letrada para me explicar sem querer criticar nossa irmã anônima, acho que é isso que ela deveria fazer. Muita paz a todos.

Prof Gerson disse...

Sou Terapeuta Holístico e foi de grande valia algumas informações técnicas.Entendo agora porquê algumas terapias vibracionais com a Acupuntura não é tão eficaz. Entendo também que
Apometria e Apometria Xamânicas são mais indicadas, assim como administração de neurotransmissores específicos que só podem avaliados via exames laboratoriais e com ajuda da medicina convencional. Abraço

Lê Meirelles disse...

É, não é uma linguagem muito acessível, mas o que realmente importa, a gênese espiritual da doença, é fácil de entender: um passado desregrado que deságua no presente. A frase que me ajudou muito foi "A doença em si é um grande processo de cura", porque me deu uma finalidade útil a tudo isso. Abraços a todos.

blog disse...

Boa noite.
Por isso a vigilância e a oração tem que ser constante.

Carol disse...

Também achei o texto difícil e os comentários preconceituosos relacionados a nós que não temos o vocabulário de doutor. Somos pessoas normais que também buscamos a espritualidade. Agora algo que eu entendi e concordo profundamente é: a doença em si já faz parte da cura. Em todas as minhas crises, todas, percebi que tinham algo em comum. Algo me chateava muito. Algo que não estava de acordo com o que eu realmente queria para a minha vida. Tirei de conclusão que a bipolaridade me veio como explosão de toda a frustração. De tanto sofrer por ser submissa a sociedade, meus pais e marido. De não seguir a profissão que sonhava. Estava tudo errado na minha vida e a doença foi pra jogar na minha cara que precisava mudar. Odiava aquela vida e surtava, não tinha como lidar. Entrei numa viagem do ego, me descobri cheia de orgulho, maledicencia, era extremamente crítica com os outros e estava eu mesma cada vez mais me reprimindo. A minha busca que começou sendo material, o que eu quero ser, onde quero viver me levou para a espiritualidade: quem eu realmente sou, o que faço aqui? E descobri que o meu equilibrio está muito mais perto do que imagino. Minhas crises estão diminuindo drásticamente, agora só falta mesmo controlar a euforia que ainda vem, de vez em quanto, e não deixar a depressão chegar pq no momento nem tenho motivos para ficar triste. Descobri que sou luz, que sou parte do universo, descobri a lei da criação, da atração, descobri a meditação, o amor próprio, a fé que está cada vez mais perto de mim e o sincero agradecimento a deus pela oportunidade de viver. Afinal eu escolhi estar aqui. Escolhi esse corpo e quem sabe até esse nome. Sou mutável, posso mudar a qualquer momento como a natureza e o universo. Boa sorte e vontade para mudar para todos. Queiram que a cura vem.

Anônimo disse...

Tenho 17 anos, moro no interior de SP, não sabia que tinha transtorno bipolar, descobri hoje, apenas por leitura, não por diagnóstico médico, mas eu penso que sim e acredito pois só os sintomas já correspondem toda a minha vida, de forma simples e explicitamente detalhada:
Caracteriza-se por variações extremas de humor, onde “euforia” e “depressão” alternam-se de formas exageradas e bem diferentes das variações de humor, que ocorrem no dia-a-dia das pessoas em geral.

Na fase da “euforia”, também conhecida como “fase da mania” ou “hipomania”, a pessoa apresenta um estado mental alterado, com aumento de energia, redução da necessidade de sono, pensamento acelerado, irritação e/ou agressividade verbal ou física, excitação, que em alguns casos leva a pessoa a comprar desnecessariamente e a gastar além de suas possibilidades. Aumento da libido, alegria, otimismo, sensação de poder e autoconfiança em excesso podem levar à perda da realidade, uma vez que para esta pessoa tudo é fácil de ser resolvido. Expõe-se a riscos desnecessários devido ao sentimento de onipotência e torna-se irresponsável por seus atos.

O outro pólo deste transtorno manifesta-se através da “fase da depressão”, também conhecida como “distímica”, em que a pessoa pode apresentar baixa auto-estima, sentimento de culpa, sensação de vazio, cansaço, desamparo, alterações no sono e no apetite (para mais ou menos) e na libido (para menos), apatia em relação ao quotidiano.

Sim, esse sou eu, essa é minha vida.
Sou muito cético pra tudo, inclusive religião, não tenho.
Me percebi numa dessas crises ao procurar na internet coisas sobre aliens, e cheguei até aqui.
Como fui lendo tudo isso e comparando a minha vida, percebi que não era só eu que tinha essa mesma "brisa louca" que eu, me sentia tão só.
Não sei muito bem o que, nem o porquê, de escrever isso aqui, mas apenas senti vontade.
Eu não sei se isso é bom ou é ruim, pois sempre usei dessa minha tal loucura, para coisas á meu favor, só que não sei, se isso é realmente bom, tenho dúvidas, pois é egoísmo, e pode/já machucar(cou) pessoas á minha volta.

Paz!

Anônimo disse...

tenho bipolaridade, levou 23 anos para o tratamento adequado. Acho uma coisa eminentemente material, equílibrios de seratonina, noradrenalina e dopamina. Tanto é q sintomas maníacos acontecem em usuários de cocaína, q aumenta os níveis de dopamina. Não há nada de espiritual nisto, é uma doença eminentemente material. Sim a religião pode ajudar, mas não dá um tratamento.Isto falo de vivência prática de 23 anos sofrendo com diagnósticos errados e "curas espirituais"

Anônimo disse...

Olá sérgio, sou estudante de psicologia,estava navegando pela web em busca de material para a construção de um artigo sobre o TB, quando encontrei sua postagem, que por sinal me foi de grande ajuda. Obrigada e fiquem com Deus.

RIDLAV disse...

O texto é bastante elucidativo. Estava lendo sobre BIPOLARIDADE e, com a ajuda do autor, sei exatamente o que tenho. Não conseguia entender porque sou assim. Sentia-me estranho, um ser de outro mundo, perto das pessoas normais. Agora vejo que não estou sozinho nessa jornada. Enfim, vamos confiar em Jesus, vigiar e orar diuturnamente e tomar os remédios prescritos. Se temos que conviver com isso, é porque foi a melhor forma que o Criador encontrou para a nossa evolução. Que Jesus me dê forçar para eu não sucumbir novamente. Assim seja!

RIDLAV disse...

A PROPÓSITO: o texto é muito bem escrito. Talvez, em algumas encarnações, eu consiga ser tão erudito como o Dr. Luiz Paiva. Enquanto não chego lá, procuro entender a forma como ele disserta, pesquisando no dicionário aquelas palavras que não constam ainda no meu vocabulário. De forma alguma quero que o Dr. Luiz Paiva desça o nível para que se faça entender. Eu que devo percorrer alguns degraus para chegar a tal patamar. Afinal, alguém que passou pela Terra já afirmava: AMAI-VOS e INSTRUI-VOS!

Anônimo disse...

Com certeza uma pessoa que teve a capacidade de escrever um excelente texto como esse jamais vai se sentir ofendido pelas besteiras que foram ditas no sentido de criticá-lo. Coitada da pessoa que em vez de abrir um dicionário ou usar esse texto para se elevar até culturalmente perde o seu tempo para criticar textos de grande valia. Achei maravilhoso!

Anônimo disse...

eu gostei do texto e de muitos comentários. foi bem elucidativo para mim, portadora de thb. muita luz e paz a todos,

Anônimo disse...

Sei que dói muito, acredito que realmente trata-se de uma evolução espiritual, imagine em um momento você está animado, cheio de vida e vigor, de repente escuta ou por exemplo vê um fato que incomoda. Ponto final para a vitalidade, e ainda agüentar a indiferença das pessoas. E ser taxado como, esta é de Lua.

Anônimo disse...

obrigada pela informaçao. Infelizmente conheço bem essa doença,pois perdi a minha mae querida para esta patologia terrivel, que no começo nao foi levada a sério e posteriormente confundida com uma depressao. Voltei a pesquisar sobre o assunto,pois acredito ter herdado um pouco deste mal de forma mais cronica. Sofro muito de irritabilidade e mudança de humor,ultimamente fumo maconha para ficar mais euforica,mas sei q nao è esse o caminho, a verdade è muito dura e dolorosa...
PAZ e LUZ

joao gomes disse...

muito boa linguagem. Muito elucidativo. Para certas pessoas valeria um curso de língua portuguesa e manuseio de dicionários.

RUBEM LUIZ GUEIROS disse...

Me desculpem, mas no trecho "...retificadores dos trânsfugas espirituais que, destarte, corrigem em si... não seria mais simples e bonito escrever "...retificadores dos DESERTORES espirituais que, DIANTE DISSO, corrigem em si...". O Conteúdo do texto é INTERESSANTÍSSIMO, mas dissolve toda motivação de entendimento para alguns que não foram abençoados com as ferramentas da nossa lingua. Alem do mais, as palavras "trânsfugas" e "destarte" não são usados a muito no jargão culto a literatura e até mesmo da jurisprudencia. Noto que isso é uma espécie de "modismo" de alguns para impressionar o leitor e demonstrar proficiência no assunto, além da notória busca pelo destaque do tipo "olha como sou culto". Isso é uma besteira. Recomendo José Saramago a este senhor. Talvez ele aprenda a escrever para TODOS! Seria uma ação beneficente que estaria elevado mais ainda seu espírito.