24 abril 2009

Epilepsia - Dr. Ricardo Di Bernardi



Perguntas feitas por pacientes :
1 ) Tenho 29 anos sempre levei uma vida normal, porem, hà 4 anos tenho tido crises convulsivas e a epilepsia não foi constatada em nenhum exame (eletroencefalogramas repetidos, mapeamentos cerebrais, tomografias, ressonâncias magnéticas, etc) Já tomei gardenal, trileptal, depakote e agora estou com topiramato 150 mg, as crises continuam acontecendo, não sei mais o que fazer. Pode-me ajudar ? O que fazer ?

2) Dr. Ricardo, quais as causas da epilepsia? Está a epilepsia intimamente ligada com a mediunidade? Diz-se popularmente que um epiléptico é um “grande médium” quase sempre psicofonico (dito popularmente de incorporação) e que necessita desenvolver a mediunidade para ficar melhor? Isto é verdade?

Resposta do Dr. Ricardo Di Bernardi
Em primeiro lugar, deve continuar tentando, com um bom neurologista, outras alternativas medicamentosas. Há, também, casos de convulsões epileptiformes que não são de origem exclusivametne neurológicas, isto é, são provocadas por outras disfunções orgânicas como metabólicas, hormonais, neoplásicas e outras, que podem ser a causa de convulsão do tipo epiléptico, mas sem ser a disritmia cerebral a causa primária. Um excelente clínico , especialista em Medicina Interna, ( não é o mesmo que Clínico Geral ), pode proceder esta investigação. A Epilepsia existe em diversos graus e diversos tipos. Há epilepsias bastante leves como lapsos de consciência denominados crises de "ausência" até as de convulsões violentas. A mais frequentemente comentada é a que se caracteriza por crises ou ataques nos quais há espasmos musculares de contração e de movimentos incontroláveis, com concomitante perda da consciência. Devido sua manifestação espetacular, externa, desde épocas remotas impressionava a todos, sendo atribuída a agentes demoníacos, misteriosos ou a influência lunar, daí a expressão lunáticos.
Um dos pais da medicina, Hipócrates lutou para desvincular a relação desta enfermidade com o "sagrado". Até hoje ainda existe, em alguns locais esta tendência. Frequentemente a pessoa que está prestes a ter uma crise convulsiva epiléptica percebe a chegada da crise com os sintomas. Alguns sentem um calor leve e envolvente, ou uma sensação típica visual, olfativa, auditiva, gustativa, tátil ou dolorosa, comumente no abdome. Pode-se detectar no EEG – eletroencefalograma – uma disfunção ou disritmia cerebral ou seja, uma alteração do ritmo das ondas emitidas pelo cérebro. No entanto, em alguns casos não se detectam estas alterações disrítmicas.
Em todas as nossas patologias ou problemas humanos há uma participação espiritual, em graus variados. Na epilepsia ou nos chamados "ataques" pode ocorrer uma ligação do enfermo com o espírito obsessor, ocorrendo uma verdadeira "incorporação" ou transe mediúnico. Existe sempre uma fragilidade orgânica cerebral, motivada pela alteração do modelo organizador biológico (perispírito) que traz lesões adquiridas em vidas pretéritas. Lesões que tem origens diversas. Nos casos ditos de "pequeno mal" ou crises de ausência não é comum a presença de espíritos obsessores. Nos casos de crises convulsivas graves, há também lesões perispirituais decorrentes do histórico progresso do paciente mas a frequente (nem sempre) associação do obsessor desencarnado. A ação do obsessor dá-se no denominado "locus minoris resistentiae" isto é, no local de menor resistência do obsediado, no caso desta pessoa, o cérebro... Muitas vezes, a ligação do obsessor com a "vítima " efetua-se pelo chakra gástrico, esplênico ou genésico mas a repercussão atinge intensamente o ponto fraco do obsediado que é a região cerebral fragilizada. Em certos casos, O choque do contato com as energias do espírito desencarnado com o obsediado (médium?) pode ser um fator determinante para o processo convulsivo. A própria convulsão ocasiona uma repercussão forte no espírito fazendo-o muitas vezes se afastar.
Há casos em que o indivíduo dito epilético nada apresenta nos exames de EEG mas tem todos estes sintomas. A contínua interferência do obsessor sobre a pessoa sensível nesta área poderá ocasionar lesões como passar dos anos. O que ocorre é que o perispírito ou corpo astral tem seu paracérebro lesionado mas, ainda, não transferiu para o corpo biológico esta lesão. O tratamento médico e espiritual concomitante poderá fazer com que a lesão não se instale no corpo biológico. Em termos técnicos, médicos, chama-se "aura epilética" (há outras denominações) ao conjunto de fenômenos ou sensações que precedem a crise convulsiva. Estas sensações são: a percepção ou alucinação de cores, visões, sombras, sons, ruídos, vozes, odores, sensação de calor na face, gosto ácido na boca e outras. Curiosamente sensações semelhantes que os médiuns tem antes da ligação deles o espírito comunicante na sessão de desobsessão. Até a "dor na boca do estômago" que alguns médiuns sentem pela ligação com o chakra gástrico. Estas sensações da "AURA EPILÉTICA" no caso da crise convulsiva pode decorrer da impregnação das energias (fluidos) do obsessor sobre o doente.
Uma recomendação importante: além do tratamento neurológico a higiene mental ou a manutenção de pensamentos otimistas, fraternos e similares são auxiliares no tratamento. Pensamentos de raiva, ódio, inveja, ressentimentos e outros de baixa frequência, favorecem as crises pela sintonia com o obsessor. Antes de desenvolver a mediunidade o paciente deve espiritualizar-se, depois estudar a doutrina espírita e por último pensar em atuar como médium. O tratamento ( médico + espiritual ) controla as crises e impede a fixação da entidade enferma sobre o cérebro do paciente.

Dr Ricardo - INSTITUTO DE CULTURA ESPÍRITA DE FLORIANÓPOLIS  www.icefaovivo.com.br   visite www.redevisao.net opção Dr.Ricardo

11 comentários:

sao disse...

Boa Noite.
Na procura de uma solução para meu problema me deparei com este blogue na qual não discordo totalmente embora me negue:
Tenho 51 ano e desde á 4 anos que tenho desmaios ou paragens cerebrais, sensação do dejá vu etc. São verdadeiramente muito desconfortaveis e horrorosas.
Muitos exames feitos e não foi ainda diagnosticado epilépsia.
Fui uma criança indigo. Desde á 18 anos que dou consultas, consiste em ler a mente das pessoas. Jamais entrei no campo espiritual ou pelo menos penso que não.
nesses 4 anos os sintomas pararam durante um ano mas agora voltaram em força.Pensei que fosse devido Uma operação ao utero na qual tinha alguns tumores.fiquei bem das crises.. Mas voltou. Hoje tive 5 crises todas elas com sintomas de parar no tempo e sensação deja vu.. Vomitos..umas atrás das outras.
Ao longo dos anos de consultas (sempre na via da mente e nunca na via espiritismo) me apercebo que cada dia que passa se torna muito fácil de ler a mente das pessoas até sempre fui assim ( Mas com o continuar tudo se torna mais fácil) por essa razão acho natural e normal do ser.. Contudo já nem sei o que é normal ou natural, ja ando confusa. Ando cansada e muito desgostosa devido a cada dia que passa me encontro com estas pequenas crises que me trás revolta e muito insatisfeita.
Gostaria um conselho ou talves uma solução.
Obrigada.

Anônimo disse...

Olá meu namorado tem epelepsia desde os 7 anos, ele diz que via uma mulher toda vez que tinha crises ele ja teve crises de convulsões e tambem ausencia, ele tem 15 anos e não tem crises a 1 ou 2 anos estamos namorando vai fazer 5 meses e eu gostaria de saber se tem algum ligamento espiritual, aguardo reposta

obrigado

Anônimo disse...

meu nome e´suellem costa guedes sou da cidade de macapa tenho 26anos e tenho epilepsia desde dos 15anos e sei quando vai mim dar crise .e preciso saber de uma coisa

quando mim dar crise eu sempre mim vejo num lugar gravida e alguem mim abraçando e sempre debaixo dessa arvore eu nao sei qual o significado ? eu preciso de resposta.

mim deu epilepsia desde por causa que mim acordei era 3 horas da manha com a briga do meu pai com meu irmao foi porque meu irmao jogou cigarro no amigo do papai e ele ficou furioso e ai eu fiquei nervosa e desde dai de 1999 mim deu crise foi no mes de outubro vespera do meu aniversario .quando eu completei 15anos e desde dai preciso encontra resposta . e sempre faço exame nao detecta nada no meu cerebro e parece tudo normal doutor mim dei essa resposta meu email é cristalmissoes@hotmail.com

Anônimo disse...

Agradeço as informações. O senhor, ao doar o seu tempo na elaboração desse artigo, ajudou-me a saber algo que procurava já há algum tempinho. Obrigada.

Anônimo disse...

Eu tenho 28 anos, e tenho crises desde os 12 anos, mais ou menos, e quando eu vou ter a crise eu sinto e tenho uma sensação de já ter vivido o momento antes, parece que eu já vivi aquilo um dia, em outra vida. Nunca tomei remédio, pois já fiz exames e não foi detectado nada. Os próprios médicos me mandaram procurar ajuda espiritual.

Anônimo disse...

Gente, desde meus quinze também sofro deste mal. Odeio ter que tomar remédios e tal.. Daria tudo para ser "normal" mas infelizmente nasci com isso. Já pararam para perceber que a maioria de nós começou com as crises com 15 anos? Pq essa idade? A minha sensação antes de desmaiar, sempre foi de já ter vivido aquela situação. Muito ruim... Vamos trocar e-mails entre nós? Abraços.

Anônimo disse...

Tenho 46 anos e venho tendo crises convulsivas, ausências; há 9 anos. Sempre que vou ter uma crise ausência é como se ouvisse vozes ou cheiro. (Já ouvi até GLÓRIA AO SENHOR). Então o inconsciente aparece. Já frequentei o espiritismo, o Candomblé e nada descoberto. Hoje prefiro ficar com o que sempre fiz antes, que era chamar pelos Salmos, porque sempre ouvia avisos com vozes ao meu ouvido. Tomo Gardenal e venho sentindo a regressão das crises ataques que somente vem dormindo.

Flavio Carlos Niewiskin Villela Villela disse...

Excelente,texto.Recentemente em um grupo de estudos,na casa espirita que frequentamos,uma participante,colega sua de profissão,lançou á duvida sobre o "pequeno mal",e a sua relação com o Espiritismo.Passei á ela a pergunta 138 ou 139, que respondia seu questionamento,no momento,Notei que ela a Médica saiu da reunião com muitas duvidas sobre o assunto.Vou passar a ela á sua pagina,bem mais tecnica.Abraços Dr. Ricardo.

Anônimo disse...

Amados, mtos de vcs podem até torcer o nariz para o que eu vou dizer, mas a solução pra todos vcs q dizem q a epilepsia não é de origem natural é espiritual sim! Porém, só o Espírito Santo de Deus pode livra-los verdadeiramente!! Clamem a Deus em oração e crendo de coração peçam que ele liberte vcs de todo o espírito imundo, usando o nome de Jesus, tenham fé no poder dEle, desejem isso pq Ele está com os ouvidos inclinados a nós se crermos verdadeiramente, reconhecendo que Ele é Deus e o único que pode livrar vcs dessa situação!!! Quem ja teve contato com macumba, espiritismo e manifestações deve orar quebrando e renunciando todo esse pacto que foi feito, toda maldição que pode ter se decaído sobre vcs deve ser repreendida no nome do Senhor Jesus! Confessem que Ele é o nosso salvador, que morreu em nosso lugar para que fossemos libertos e perdoados de todo o pecado, lavados no seu sangue, reconciliados com Deus! Creiam nessa palavra, vcs serão livres!!! Chamem alguém para orar caso queiram, mas façam isso, vcs mesmos podem fazer! Que Deus abençoe vcs queridos!

Alessandra disse...

Eu sou católica apostólica romana praticante e vivente da palavra e tenho meu esposo que tem epilepsia e desde que eu o conheci a 18 anos e meu filho que tem 16 anos desde pequeno sofre e agora foi diagnosticado crise de ausencia e lendo na Biblia onde fala que o pai quiz tanto um filho que quando teve ele sofria com crises demôniacas e foi curado, como mãe sinto e acredito tanto na bondade de Deus que deu sua vida por todos nós e não há ninguém que vai deixar uma criança ser machucada Jesus Cristo me escolheu como mãe e estou aqui pra cuidar dele com todo amor de mãe sei que Deus nos da os filhos e um dia iremos devolver mas enquanto estiver comigo dobrarei meus joelhos em oração e me juntarei com Maria mãe de Jesus Cristo e rogo a Deus todo os dias pelos meus filhos para que caminhe no caminho do nosso Salvador e trabalhando com as palavras, nas pastorais, no altar como acólito e vivendo cada dia e segundo o amor a Jesus Cristo pois só ele salva, cura, liberta e da a vida eterna amém.

Jailson de Andrade Dantas disse...

Boa tarde
Desde os meus nove anos tenho crises de ausências hoje tenho 40 anos, são detectadas nos eletroencefalogramas, sou espírita há mais de 25 anos e faço parte no centro espirita que frequento do estudo da educação da mediunidade, e do ESDE, no decorrer do tempo as crises tem diminuido mais não sessaram. Precisaria buscar outras alternativas? Pois já tomei vários medicamentos e eles não solucionaram as crises, as mesmas diminuiram quando comecei desenvolver minha mediunidade. Conhece algum médico neurologista espírita no Rio Grande do Norte? Se sim me indique o nome, pois é sempre dificil tratar destes assuntos com médicos que não espiritas.

Abraços fraternos.